Paróquia de São Vicente de Paulo

Curso Bíblico: Gênesis – 13ª Semana

PARÓQUIA DE SÃO VICENTE DE PAULO
3ª URGÊNCIA DA AÇÃO EVANGELIZADORA
IGREJA, LUGAR DE ANIMAÇÃO BÍBLICA E VIDA PASTORAL
ESTUDO BÍBLICO CAPÍTULO POR CAPÍTULO

Objetivo – Fazer com que as nossas comunidades leiam, conheçam e ponham em prática a palavra de Deus.

GÊNESIS 19,1-38 – FOLHETO 13

INTRODUÇÃO – Meus caros leitores e estudantes de Teologia Bíblica, sempre é bom lembrar-nos de que a Bíblia contém uma orientação em quaisquer circunstâncias e dá respostas segura às dúvidas e incertezas.

O Concílio Vaticano II (1962 -1965) declara solenemente: “A igreja sempre venerou as divinas escrituras da mesma forma como o próprio corpo do Senhor.” (Constituição Dogmática Dei Verbum, nº 21). E acrescenta: “sempre as teve e tem, com a tradição, como suprema regra de sua fé.“

Na Bíblia, a autoridade não é o livro em si mesmo, isto é, o papel e a tinta, mas o próprio Cristo. Ele é a instância última e definitiva: nem o Pai admitirá outra superior à de seu filho.

A revelação divina foi feita, primeiramente, por via oral e, aos poucos, consignada por escrito, o que deu origem aos livros sagrados da Antiga e Nova Alianças. Um longo período, do século XIII a.C ao I de nossa era medeia entre o início e o término dessa obra, feita por Deus, servindo-se de homens e mulheres como instrumento. Sendo a escritura a expressão divina transmitida em nossa linguagem humana, importa uma adequada explicação, feita sob a direção do Espírito Santo.

É por isso que, de uma forma lenta e gradual, sem pressa, estamos estudando a Bíblia capítulo por capítulo, tirando as dúvidas e esclarecendo as partes difíceis.

ESTUDO DE GÊNESIS CAPÍTULO 19,1-38 (leia o texto)

O capítulo 19 procura explicar a destruição de duas cidades vizinhas ao Mar Morto. Sobressai aqui a justiça de Deus, que ouve o clamor dos oprimidos. Sodoma e Gomorra tornar se ão símbolo da corrupção e da injustiça.

Encontramos aqui, também em destaque, a figura de Ló. Ele é salvo porque observou a lei da hospitalidade, uma das mais importantes no mundo oriental.

Vamos encontrar, neste capítulo o episódio que explica a origem dos moabitas (Moab significa saída do pai) e dos amonitas (O nome Bem – ami, o qual foi pai dos anomitas, significa filho do meu povo), povos vizinhos e inimigos de Israel, lembrados como fruto das cidades condenadas. O gesto dos filhos de Ló é motivado pelo desejo profundo de perpetuar a vida.

O início do capítulo 19 diz que os anjos foram visitar Sodoma e encontraram Ló junto à porta. Quando ele os viu, prostrou-se com o rosto em terra e, insistindo, hospedou-os e lhes preparou um banquete. Mas antes que se recolhessem para dormir, Ló e seus visitantes foram surpreendidos por uma atitude completamente deplorável por parte dos demais habitantes da cidade, desde os mais velhos até os mais novos. E, chamaram por Ló (veja versículo 5).

Ló chegou a oferecer suas filhas para que os anjos nada sofressem (versículos 7 e 8).

Ló achava-se em uma situação difícil e se colocou na defesa de seus visitantes. Na verdade, ele estava colhendo o que havia semeado porque, mesmo não praticando aquele tipo de pecado, em certo sentido tolerou-o. Ele sabia que aquelas práticas eram pecaminosas. Tanto é verdade que identificou como mal o que aqueles homens queriam fazer. Ló não chegou a mudar totalmente sua ideia de pecado. O que ele viu chamou de pecado.

Mas existem muitas pessoas que se vão acostumando e assumindo uma posição liberal em relação ao pecado, chamando tal posição de “nova mentalidade”. Para Ló, aquilo que aconteceu em Sodoma era pecado mesmo. E, no versículo 9, o texto diz que aqueles homens maus persistiram no seu intento.

Estes homens incrédulos agora estavam acusando Ló, dizendo-lhe que, se tinha vindo morar em Sodoma, devia aceitar os costumes sem querer transformá-los. Se havia escolhido espontaneamente Sodoma, e se havia morado ali tanto tempo, sem nunca se opor abertamente ao pecado, como, então, queria agora moralizar as coisas? Pobre Ló! Estava sofrendo as consequências de sua própria tolerância com o mal. Seu testemunho não foi claro. Sabia o que era pecado, porém, nunca se opôs claramente a ele. Nunca contrariou aqueles costumes. Sua luz não brilhou nas trevas de Sodoma. Mas, graças a Deus, os anjos que estavam na casa o protegeram da agressão

daqueles homens maus, cegando-os e trazendo Ló para dentro da casa. Se não fosse a intervenção dos anjos, Ló iria sofrer nas mãos daqueles homens sem o temor de Deus.

Meus caros leitores e estudantes, o texto de Gênesis 19 continua. Vejam o que dizem os versículos de 12 a 14. Como podemos entender este relato? A situação de Ló continua difícil. Tudo indica que seus genros eram incrédulos, a ponto de desprezarem seu aviso. Eles riram de Ló. Pensaram que ele só poderia estar brincando, porque se antes não tinha dado nenhuma pista de que haveria destruição, como de uma hora para outra, fazia esse aviso tão terrível? Provavelmente, eram pessoas ainda incrédulas, o que prova que Ló, mesmo temendo a Deus, não impactou nenhuma vida durante todo o tempo em que viveu em Sodoma.

Alguns perguntam se Ló era, de fato, temente a Deus. Em 2 Pedro 2,7-8 diz que Ló era justo, e sentia tristeza por causa do pecado e da corrupção de Sodoma. Mas, pelo que sabemos, pelo que a Bíblia diz, apesar de ser um homem temente a Deus, podemos dizer que era um homem fraco. Prova disso, vemos com que dificuldade Ló, sua mulher e as suas duas filhas deixaram Sodoma. Eles foram como que arrastados para fora, a fim de não serem destruídos juntamente com a cidade corrupta.

De acordo com o versículo 16, a narrativa diz que, diante de sua demora, os anjos tomaram a iniciativa. Faltava a Ló o sentido de urgência que estava sendo exigido por Deus. O que realmente estava prendendo Ló àquela cidade? Por que não se apressou após ouvir a palavra dos anjos? Deus precisou ter muita misericórdia dele, para que não fosse, destruído com a corrupta cidade.

Pela misericórdia divina, os anjos instruíram Ló para que salvasse sua vida, não olhando para trás e fugindo para o monte. Leiam os versículos 18 e 19.

Como é fácil perceber, Ló continuou colocando obstáculos e recusou a orientação divina para que a sua própria vontade, recusando-se a fazer aquilo que Deus ordena claramente na sua Palavra. O monte, certamente, se tratava de um lugar seguro, onde a destruição de Sodoma e o fogo que cairia sobre ele não o atingiram.

Ló havia saído de Sodoma, mas ainda levava consigo a vontade própria e essa atitude não submissa a Deus. Ló não era dócil à vontade de Deus. As

razões dele excedem a nossa compreensão e a nossa razão. Se Deus tinha ordenado que fosse para o monte, é para lá que deveria ter ido com sua família. Mas, nos versículos de 20 a 22, Ló insistiu e o Senhor permitiu que ele fugisse para a cidade de Zoar, que significa “pequena”, não sem antes ressaltar que ele deveria apressar-se e se refugiar na pequena cidade.

Nos versículos de 23 a 29, temos a destruição de Sodoma e Gomorra, que os estudiosos da Bíblia denominam como “etiologia”, isto é, um relato ou uma lenda popular que procura “explicar” a origem de alguns fenômenos dos quais não se tem um conhecimento científico.

Lemos que Deus fez chover enxofre e fogo sobre as duas cidades, e as subverteu, assim como toda a campina, todos os moradores da cidade e o que nascia na terra. E, lembrando-se de Abraão, Deus tirou Ló do meio das ruínas dessas cidades pecadoras.

Mas, em meio a tais acontecimentos, temos um detalhe ainda mais triste. Vejam o versículo 26. Como vocês viram a mulher de Ló olhou para traz e converteu-se em uma estátua de sal. Por que ela olhou para trás? Certamente, porque lhe era difícil deixar aquela cidade. O texto não diz porque ela olhou para trás, mas podemos imaginar.

Ló estava do seu lado, mas a mulher estava deixando a cidade com saudade. O coração dela estava ficando em Sodoma. Bem, a verdade é que ela, em desobediência ao que lhe falaram os anjos, não se contendo de saudade, olhou para trás, e o resultado foi que se transformou imediatamente numa estátua de sal.

Encontramos nos versículos de 30 a 38 outro relato triste: o pecado de duas filhas de Ló. As duas jovens, provavelmente, foram criadas sob a orientação da mãe, que não era obediente ao Senhor, e estavam habituadas com as iniquidades dos habitantes de Sodoma. Em uma situação de desespero, ao invés de esperarem pela providência do Senhor, resolveram agir por conta própria. Isto mostra, antes de qualquer coisa, o quanto Ló errou ao ter escolhido Sodoma para se estabelecer com sua familia.

Essas jovens não tinham um padrão agradável a Deus. Por não haver mais rapazes para se casarem, deliberadamente, embebedaram o pai, duas noites seguidas, para que, sendo possuídas por ele, gerassem filhos e desta forma preservassem sua descendência. Assim foi feito, e da relação incestuosa nasceram os descendentes de Ló, que são os moabitas e os amonitas.

O final do capítulo 19 tráz uma grande mensagem para os nossos dias, quando muitos estão cedendo ao pecado e esquecendo-se que a Bíblia diz que Deus não se zomba. É bom não olvidar: Deus é amor, mas é também justiça! Um bom estudo a todos.

EXERCICIO

1. De acordo com a introdução deste folheto, o que diz o magistério (documentos/ensino) da igreja sobre a Bíblia?

2.Destaque em poucas palavras quais os relatos principais que apresenta o capítulo de Gênesis

3.Cite outra passagem de Gênesis em que você encontra os mesmos anjos do capítulo 19.

4.Comente a expressão “pobre Ló” citada no folheto.

6.Por que, para alguns estudiosos da Bíblia, a destruição de Sodoma e Gomorra é uma “etiologia”?

5.Como você interpreta a mulher de Ló transformada numa estátua de sal?

6.Dê o significado destas palavras:

Moabitas -

Amonitas –

Zoar –

Etiologia -

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE APROFUNDAMENTO

● Bíblia de Jerusalém

● Storniolo, Ivo – Balancin E., Como ler o Livro do Gênesis, São Paulo: Paulus 1991

● Bergant, D. – Karris.R, The Collegeville Bible Commentary.Minnesota: EUA - 1989

●Deisseler, Alfons., O anúncio do Antigo Testamento, São Paulo: Paulus 1984

●Ravasi, Gianfranco., A narrativa do Céu – As histórias, as ideias e os personagens do Antigo Testamento, São Paulo: Paulinas 1999

●Bright, John., História de Israel, São Paulo: Paulus 2000

●Pierre, Grelet., Homme qui es tu ? Les onze premiers chapitres de la Génèse, Paris; Cerf 1973.

●Drolet, Gilles., Compredre l’Ancien Testament, Canadá 2006

●São Gerônimo., Antigo Testamento, São Paulo: Paulus 2011

●Anotações do Pe. Neto

ELABORAÇÃO – Pe. Raimundo Nonato de Oliveira Neto – Pároco da Paróquia de São Vicente de Paulo e Especialista em Teologia Bíblica pela Union Theological Seminary, Nova York– E.U. A- 1993 e pelo Centro Biblico Verbo Divino – São Paulo – 2007 -2008.

Mensagem

...Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.

Este é o primeiro e grande mandamento.

E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo...

Eventos