Paróquia de São Vicente de Paulo

Curso Bíblico: Gênesis – 16ª Semana

PARÓQUIA DE SÃO VICENTE DE PAULO

3ª URGÊNCIA DA AÇÃO EVANGELIZADORA

IGREJA, LUGAR DE ANIMAÇÃO BÍBLICA E VIDA PASTORAL

ESTUDO BÍBLICO CAPÍTULO POR CAPÍTULO

 

Objetivo – Fazer com que as nossas comunidades leiam, conheçam e ponham em prática a palavra de Deus.

 

Gênesis 22,1-24 – FOLHETO 16

 

INTRODUÇÃO – Sabemos que a biblioteca, de 73 livros sagrados ou Bíblia traz para nós, que temos o dom da fé, a maravilhosa riqueza da experiência de Deus, caminhando com seu povo e deste povo caminhando com Deus. O momento máximo desta história é a encarnação, vida, testemunho, mensagem, missão e doação, morte, ressurreição e glorificação do Filho de Deus, Jesus Cristo e o envio do Espírito Santo sobre a comunidade que se formou com ele e a partir dele.

 

Esta biblioteca, escrita ao longo dos séculos, é um texto que, depende de vários fatores para ser lido, como é o caso do contexto que o envolve e são muitos, assim como os gêneros literários, as épocas, as culturas, as regiões,as pessoas que redigiram etc.

 

O mais importante porém, é a capacidade de leitura a partir da fé, isto é, com a convicção de que enquanto se adentra no sentido do texto, mais do que conhecimento, se tem o privilégio de ouvir Deus, dialogar com ele, alimentar a intimidade como ele e dele receber orientações de vida.

 

Nós que temos o dom da fé cremos que neste livro sagrado está, de modo denso e privilegiado, a Palavra de Deus. Mas cremos também que esta palavra, não se esgota. E o centro da Palavra é Jesus Cristo, a Palavra de Deus encarnada. E ele é a chave que nos possibilita compreender o livro das Escrituras e é, por isso, que o cristianismo não é uma religião do livro, mas a religião de uma Pessoa, do próprio Filho de Deus, a Palavra feita pessoa humana e divina.

 

Impulsionados por essa introdução sobre a Bíblia veremos aqui o capítulo 22 do Gênesis. Neste capítulo Deus toma todas as seguranças de Abraão, para fazer sua promessa e lhe entregar seu dom. Muitos obstáculos parecem tornar impossível a realização desse dom e promessa, isto é, velhice e esterilidade. Quanto à promessa, começa a cumprir-se com o nascimento de Isaac. Abraão poderia acomodar-se e perder de vista o grande projeto para o qual Deus o chamara. Por isso, Deus lhe pede um novo ato de fé que confirma sua obediência. Deus não promete nova segurança para o homem se acomodar; pelo contrário, desafia o homem a estar sempre alerta, a fim de relacionar-se com Deus e criar uma nova história. Só assim o projeto de Deus, não será confundido com as limitações dos projetos humanos.

 

ESTUDO DO GÊNESIS CAPITULO 22,1-24 (leiam o texto)

 

O SACRIFÍCIO DE ABRAÃO E ISAAC

 

Este é um dos episódios mais impressionantes das histórias de Abraão. Mas é difícil de entender!

 

Abraão está feliz por ter um filho. Este menino será o futuro da família. Ele é sinal de que as promessas de Deus se cumprem.

 

Deus, contudo, deve fazer Abraão perceber até onde vai sua fé. Por isso ele deve ser provado.

 

Observemos que a prova não é para Deus, mas para o próprio Abraão. Ele precisa saber que realmente crê, pois o ato de crer é sempre um risco. É sempre difícil e impenhativo acreditar. Mais fácil é se desesperar ou negar! Abraão foi confiante e aceitou até o fim.

 

Abraão deve “sacrificar Isaac”. Em outras palavras deve perder a segurança de sua vida, de seu futuro, de sua história. Deve pôr em risco a própria promessa de Deus. Mas é Deus que insiste nisto. (versículo 2 a 5).

 

Desde o início, portanto, Abraão sabia que voltaria com o filho Isaac! Ele tinha fé, confiava que a história não seria de morte, mas de vida. Somente não sabia como nem quando tudo iria mudar.

 

Subindo a montanha, Isaac, o filho, pergunta para o pai, Abraão: “... mas onde está o cordeiro para o holocausto? “ (versículo 7).

 

A resposta de Abraão indica tudo, dá sentido à sua pessoa e à sua história. Ele responde, “É Deus quem proverá o cordeiro para o holocausto, meu filho! “ (versículo 8).

 

Holocausto é um sacrifício que alguém faz de modo voluntário. A tradição cristã sempre viu no “quase sacrifício” de Isaac uma previsão do sacrifício voluntário de Jesus Cristo!

 

Dando continuidade ao comentário do versículo 8, podemos dizer que a história prossegue. Abraão e Isaac chegam ao alto do monte. Abraão prepara o filho para o sacrifício e, quando está pronto para o sacrificar, diz o texto, o anjo do Senhor o chamou e ordenou( versículo 12).

 

Abraão foi até o fim, mesmo contra seus sentimentos mais profundos de pai. Foi com confiança, sem entender, mas foi em frente. Foi contra sua própria natureza, venceu pela esperança.

 

Se ele sabia que não iria matar o filho, não sabia quando isto seria demonstrado. Foi até ao fim, até tomando a faca. E o senhor interveio!

 

Não seria necessário este sacrifício. Era necessário a fé, isto sim. E Abraão demonstrou que a tinha em grande quantidade! Por isso ele pode ser o Pai dos fiéis. (versículo de 16 a 18).

 

Se lermos com atenção, veremos que o cordeiro preso pelos chifres, encontrado por Abraão logo após a palavra de Deus, é sinal de Jesus Cristo. Ele sim é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (cf. João 1,29).

 

Para complementar este capítulo 22, sugiro quer leiam Romanos 4,1-25, cuja finalidade é para sentir que Abraão é o pai dos que creem.

 

Em síntese, podemos dizer que Abraão é o primeiro personagem importante do Pentateuco. Ele é o que crê em Deus, no seu Deus. Ele é o “Pai dos que creem”. Nele todos os povos podem se reconhecer chamados por Deus.

 

Os versículos de 20 a 24, são uma lista genealógica que começa a preparar a história de Isaac e Jacó, e introduz as histórias de casamento dos dois. (cf. Gn,24, 28-29). Era costume dos antigos que os matrimônios fossem realizados entre jovens de clãs aparentadas. (cf. 24,3-4)

 

EXERCÍCIO

 

1. Segundo a introdução deste folheto, o que é a Bíblia ?

 

2. Quais os fatores que envolvem o estudo bíblico?

 

3. Qual é o centro da Bíblia?

 

4. Por que o cristianismo não é uma religião do livro?

 

5. Por que Abraão foi provado por Deus?

 

6. O que significa holocausto?

 

7. Que relação tem o cordeiro de Abraão com Jesus Cristo?

 

8. Qual a relação entre Gn 22,1-24 com Romanos 4,1-25?

 

9. Que comentário você faz dos versículos de 20 a 24 ?

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE APROFUNDAMENTO

 

● Bíblia de Jerusalém

 

● Storniolo, Ivo – Balancin E., Como ler o Livro do Gênesis, São Paulo: Paulus 1991

 

● Bergant, D. – Karris.R, The Collegeville Bible Commentary.Minnesota: EUA - 1989

 

●Deisseler, Alfons., O anúncio do Antigo Testamento, São Paulo: Paulus 1984

 

●Ravasi, Gianfranco., A narrativa do Céu – As histórias, as ideias e os personagens do Antigo Testamento, São Paulo: Paulinas 1999

 

●Bright, John., História de Israel, São Paulo: Paulus 2000

 

●Pierre, Grelet., Homme qui es tu ? Les onze premiers chapitres de la Génèse, Paris; Cerf 1973.

 

●Drolet, Gilles., Compredre l’Ancien Testament, Canadá 2006

 

●São Gerônimo., Antigo Testamento, São Paulo: Paulus 2011

 

●Anotações do Pe. Neto

 

ELABORAÇÃO – Pe. Raimundo Nonato de Oliveira Neto – Pároco da Paróquia de São Vicente de Paulo e Especialista em Teologia Bíblica pela Union Theological Seminary, Nova York– E.U. A- 1993 e pelo Centro Biblico Verbo – São Paulo – 2007 -2008.

Mensagem

...Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.

Este é o primeiro e grande mandamento.

E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo...

Eventos