Paróquia de São Vicente de Paulo

Curso Bíblico: Gênesis – 23ª Semana

 

PARÓQUIA DE SÃO VICENTE DE PAULO
3ª URGÊNCIA DA AÇÃO EVANGELIZADORA
IGREJA, LUGAR DE ANIMAÇÃO BÍBLICA E VIDA PASTORAL
ESTUDO BÍBLICO CAPÍTULO POR CAPÍTULO

 

Objetivo – Fazer com que as nossas comunidades leiam, conheçam e ponham em prática a Palavra de Deus.

 

GÊNESIS – 28, 1-22 – FOLHETO 23

 

INTRODUÇÃO – Se, porventura, você estiver tomando conhecimento deste folheto agora, tenho o prazer de comunicar-lhe que estamos estudando o livro do Gênesis, capítulo por capítulo. Porém, este livro não caiu pronto do céu, assim como toda a Bíblia. Ele está inserido em um bloco chamado Torah, para os judeus, e Pentateuco para os cristãos. O Pentateuco, ou Torah, é um texto dividido em cinco partes, chamadas de “Livros”. Estes cinco livros têm uma extensão que varia um pouco. Gênesis - 50 capítulos; Êxodo - 40 capítulos; Levítico - 27 capítulos; Números - 36 capítulos e Deuteronômio – 34 capítulos. Veja que este é um dado importante: o Pentateuco, ou Torah, é um texto dividido! Quer dizer que, originalmente, ele podia ser lido por inteiro, como um único livro. O que se teria era um conjunto de informações, que indicariam um caminho a ser seguido. Por isso é que a palavra Torah, que é o nome hebraico desse conjunto de livros, pode ser traduzida por “caminho” ou “ensino”.

 

A Torah, ou Pentateuco, não é um ensino acadêmico, matemático, sistemático, mas um ensino com histórias da vida de pessoas e acontecimentos. É também a proposta de um modo de ser, de agir, de viver. Assim, pode ser identificado como “Lei” ou “Normas”, no sentido de indicar a conduta de pessoas. Os livros de Pentateuco ou Torah, compõem uma grande obra, que pode ser lida em sequência, sendo cada livro ligado a outro e formando uma narração ou corpo coerente de informações.

 

ESTUDO DO GÊNESIS – 28,1-22 (leiam o texto)

 

EXPERIÊNCIAS DE JACÓ: A FUGA, A VISÃO DA ESCADA E A COLUNA DE BETEL.

 

No início do capítulo 28, no versículo 1, vemos o Patriarca chamar Jacó e lhe ordena que não se casasse com nenhuma moça cananita.

 

Nos versículos de 2 a 4, encontramos as palavras complementares do pai dirigidas ao filho.(leiam de 1-4). Observem que, nessas palavras, o patriarca confirma a bênção que dera anteriormente a Jacó, que era a mesma a ele concedida e também a Abraão. Era a bênção do El-Shadai, ou seja, o Deus Todo Poderoso (cf. Gn. 17,1). Portanto, de geração em geração, essa bênção confirmou o favor de Deus sobre aqueles primeiros patriarcas.

 

Nos versículos de 6 a 9, vemos Esaú com seu caráter ainda afetado pela mágoa e rancor, tentando, de alguma maneira, agradar ao Senhor e a seus pais. Ele viu Isaque abençoando Jacó e o enviando a Padã – Arã em busca de uma esposa. Esaú já era casado com duas mulheres cananitas, fato que desagravava sua mãe. Em um anseio desesperado de consertar e amenizar a situação, foi à casa de Ismael, seu tio, e lá se casou com Maalate, sua prima. Mas foi uma tentativa falha. Acompanhemos alguns erros de Saul: a) desprezou seu direito à primogenitura; b) desejou a morte do irmão; c) tomou como esposa duas Eananitas; d) buscou para si uma esposa sem seguir a orientação divina e paterna; e) casou-se com a prima, filha de Ismael, o filho rejeitado de Abraão, do qual se originaria a descendência abençoada por Deus.

 

Os versículos de 10 a 17 formam um texto muito interessante. Eles nos relatam uma experiência única que Jacó teve com Deus quando caminhava na direção de Padã – Arã. Como a jornada era longa, deitou-se para passar a noite. Era Jacó que estava nessa situação. Quem era Jacó? Qual era o seu perfil? Esaú, seu irmão gêmeo, era um homem do campo. Mas ele, o filho mais novo, gostava de ficar em casa. Além de todo o ambiente de seu lar estar abalado por sua própria culpa, agora estava com medo, fugindo de Esaú e, certamente, temendo passar uma

 

noite ao relento. Como se sentiu naquela noite? Certamente sentiu-se só. O lugar era deserto e sem dúvida ele sentiu uma profunda solidão e medo.

 

Mas Jacó tinha que dormir para recuperar as energias. Pegou uma pedra, usou-a como travesseiro, deitou-se e dormiu. De tão cansado, sonhou. E sonhou algo maravilhoso, como nos dizem os versículos de 12 a 15. Leiam o texto por favor.

 

O local onde Jacó pernoitou recebeu o nome de casa de Deus, ou Betel. Era um lugar muito significativo, pois foi exatamente nele que Deus apareceu pela primeira vez a Abraão (cf. Gn 12,8).

 

Esse maravilhoso sonho de Jacó, ou seja, essa maravilhosa visão mostrava-lhe as diversas garantias divinas de que ele não estava só.

 

Vejam as garantias: a) Deus se identificou como Deus do presente: Eu sou o Senhor (v.13); b) Deus mostrou-lhe a soberania no passado: Eu sou o Deus de Abraão, teu pai, e Deus de Isaque (v.13); c) Deus mostrou-lhe como controla o futuro: A tua descendência será como o pó da terra (v.14); d) Deus revelou os seus propósitos, veja (v.14); e) Deus revelou-se como o Deus protetor fiel, veja (v.15).

 

Essas palavras, de fato, foram reconfortantes! Deus tem prazer em garantir sua companhia e sua bênção! Então, o que temos através dessas palavras é uma renovação da aliança que Deus fizera com Abraão e com Isaque. Jacó era o terceiro na linha de sucessão. A escada em Betel pode ser considerado um símbolo de Cristo, que é a única escada ou o único caminho para o céu.

 

Os versículos 16 e 17 mostram Jacó, logo ao despertar do sono, de que ele está na casa de Deus, a porta para o céu.

 

Os versículos 18 e 19 revelam a reação de Jacó diante da bondade de Deus. Jacó erigiu coluna, isto é, um monumento que simbolizava que ali era um lugar de adoração. Jacó mudou o nome daquele lugar, que se chamava luz(amendoeira em hebraico), pois desejava um nome mais significativo. O local passaria a ser chamado de Betel que significava “casa de Deus”.

 

O texto bíblico prossegue e nos relata, nos versículos de 20 a 22, as últimas palavras do capítulo 28 (Leiam os vv. de 20 a 22).

 

Vemos claramente, aqui, que Jacó tentava fazer uma espécie de negócio com Deus. E apesar de ter adorado o Senhor e erigido uma coluna em sua homenagem, sabemos que Deus não aceita esse tipo de negócio. O homem recebe os planos de Deus, mas Deus não recebe os planos dos homens.

 

O caráter que agrada a Deus é um caráter transformado por completo. Que sejamos livres de cometer tal barganha com Ele. Aceitemos Sua graça e não façamos exigências descabidas. O nosso Deus quer o nosso bem, portanto confiemos completamente em Suas promessas, em Sua palavra e em Suas bondosas ações para conosco.

 

EXERCÍCIO

 

1. De acordo com a introdução deste folheto Nº 23, dê os nomes com o total de capítulos de cada livro que formam a Torah/Pentateuco.

 

2. A Torah/Pentateuco é um ensino acadêmico, matemático, sistemático? Explique – nos.

 

3. De uma forma bem reduzida, de que trata o capítulo 28 do Gênesis?

 

4. Dê o significado de:

 

a)Torah –

 

b) Pentateuco –

 

c) El-Shadai -

 

d) Maalate –

 

e) Betel –

 

f) luz –

 

5. A quem podemos associar a escada de Jacó?

 

6. Descreva alguns erros de Saul.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS DE APROFUNDAMENTO

 

● Bíblia de Jerusalém

 

● Storniolo, Ivo – Balancin E., Como ler o Livro do Gênesis, São Paulo: Paulus 1991

 

● Bergant, D. – Karris.R, The Collegeville Bible Commentary. Minnesota: EUA - 1989

 

● Deisseler, Alfons., O Anúncio do Antigo Testamento, São Paulo: Paulus 1984

 

● Ravasi, Gianfranco., A narrativa do Céu – As histórias, as ideias e os personagens do Antigo Testamento, São Paulo: Paulinas 1999

 

● Bright, John., História de Israel, São Paulo: Paulus 2000

 

● Pierre, Grelet., Homme qui es tu ? Les onze premiers chapitres de la Génèse, Paris; Cerf 1973.

 

● Drolet, Gilles., Compredre l’Ancien Testament, Canadá 2006

 

● São Gerônimo., Antigo Testamento, São Paulo: Paulus 2011

 

● Anotações do Pe. Neto

 

ELABORAÇÃO – Pe. Raimundo Nonato de Oliveira Neto – Pároco da Paróquia de São Vicente de Paulo e Especialista em Teologia Bíblica pela Union Theological Seminary, Nova York– E.U.A - 1993 e pelo Centro Biblico Verbo – São Paulo – 2007 -2008.

 

Mensagem

...Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.

Este é o primeiro e grande mandamento.

E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo...

Eventos