Paróquia de São Vicente de Paulo

Terceiro Domingo do Tempo Comum - 2016



O evangelho de São Lucas (4,14-21), da liturgia da palavra deste domingo, nos mostra um momento glorioso da cidade de Nazaré, uma pequena cidade da Galiléia. Pequena e humilde a tal ponto, que Natanael perguntou com certo desdém: “De Nazaré pode sair algo de bom”? (Jo. 1,53). Mas Nazaré tornou-se muito grande e famosa, por tudo o que de grande aconteceu. Era a terra de Maria e de José. Lá aconteceu a anunciação do anjo Gabriel e esse foi o cenário silencioso do mistério da encarnação. Lá morou a Sagrada Família depois da volta do exílio no Egito. Lá o Menino Jesus cresceu, recebeu educação familiar, tornou-se adulto e viu chegar a hora de começar sua vida pública. Jesus ficou conhecido como o profeta de Nazaré. Foi em Nazaré que Jesus proclamou sua missão e apresentou seu programa de evangelização. Entrou, em dia de sábado, na sinagoga, onde a comunidade, como de costume estava reunida para ouvir a leitura da Lei dos profetas e para contar os salmos. O presidente da reunião Jesus a ler. Deram-lhe o livro do profeta Isaias, e ele, desenrolando o pergaminho deu com o texto que dizia: “O espírito do Senhor pousou em mim, porque me ungiu; e me mandou anunciar a boa nova aos pobres, pregar aos cativos a libertação, aos cegos a recuperação da vista, libertar os oprimidos e anunciar o amor da graça ao Senhor”. (Lc. 4,18-19).

Essas palavras em si poderiam servir para indicar a missão de qualquer outro grande profeta. Mas, como nos diz aqui solenemente Jesus, elas referem-se à sua pessoa de maneira especial. É ele que vem anunciar a plenitude da benção de Deus, para a humanidade, como se instalasse um permanente ano jubilar para todo o povo a semelhança doa no jubilar que se proclamava de cinquenta em cinquenta anos para o povo de Israel. Ele vem anunciar o evangelho aos pobres, os preferidos do Reino de Deus. Ele vem dar vista aos cegos, não só curando os miraculosamente como sinal de seu poder, mas iluminando as consciências para conhecerem a luz da fé e os preceitos da lei de Deus. Ele vem livrar os cativos de todas as escravidões matérias e espirituais que oprimem a humanidade. Ele vem implantar no mundo a alegria da liberdade dos filhos de Deus. Aquele “hoje pronunciado por Jesus naquele sábado, em Nazaré, vale para todo o sempre, porque Cristo é de ontem, de hoje e de sempre”. Basta que, à semelhança dos nazarenos, estejamos durante toda a vida atentos às palavras de Jesus às inspirações da sua graça.

No domingo da proclamação da missão de Jesus na Sinagoga de Nazaré, peçamos ao espírito de Deus por todas as comunidades cristãs e por todo o povo de Deus

para que possamos anunciar com alegria a verdade objetiva de nossa fé, que é Nosso Senhor Jesus Cristo: caminho, Verdade e vida.

Pe. Raimundo Neto
Pároco de são Vicente de Paulo

Mensagem

...Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.

Este é o primeiro e grande mandamento.

E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo...

Eventos