Paróquia de São Vicente de Paulo

Quinto Domingo da Quaresma - 2016


O evangelho sobre o qual refletimos hoje é de João (8,1-11). Um texto com conteúdo muito próprio do evangelho de Lucas. Trás o tema da misericórdia. Nele vemos claramente que Jesus se encontra diante de uma cilada armada pelos escribas e fariseus: se Jesus aceitar a acusação contra a mulher, estará aprovando o homicídio, se libertar a mulher, estará desobedecendo a lei de Moisés. Mas Jesus têm uma saída que os seus inimigos não haviam previsto: manda que se cumpra a lei, mas por aqueles que são verdadeiramente justos diante dela. Não havia nenhum. Jesus, então,dirige para a mulher um olhar de profunda compaixão. Ele desaprova os orgulhosos de coração e se compadece de quem aceita a sua misericórdia. Esse gesto de amor incomparável marcará tão profundamente a mulher, que ela não poderá mais levar a vida de antes. Uma experiência de amor para mudar completamente a vida de uma pessoa.

Este evangelho é, para nós, um anúncio de alegria pois que o Senhor, diante da nossa fragilidade, não vem com cobranças, mas com amor sem que nada tenhamos feito para merecê-lo. Fazendo deste modo Ele abre um caminho no original para o difícil desafio da convivência humana. Nossa tendência é achar que as pessoas mudarão de vida, se formos duros e exigentes com elas. Mas o que leva mesmo alguém a mudar de vida é o amor. O modo como o manifestamos pode ser diferente em cada situação, mas, se for verdadeiro, trará sempre a salvação. Que o Senhor Jesus nos ajude a palmilhar esse caminho!

A mensagem deste 5º Domingo da Quaresma é procurar reconhecer em nós a experiência do povo de Israel, de Paulo e da mulher adúltera, a experiência de sermos estabelecidos em condições novas, por exemplo, por uma autêntica confissão: notaremos que não fomos nós que nos libertamos, mas a graça de Deus no sinal eficaz de Cristo. Neste domingo da pecadora arrependida, o perdão de Deus faz-nos voltar ao convívio da vida novamente. Assim foi com Madalena, a mulher do Evangelho de hoje. É muito fácil atirar pedras e condenar. É mais fácil eliminar e matar as pessoas; que o digam os favoráveis à pena de morte. Mas Deus, em Jesus, é a favor da vida. Madalena foi poupada por seu arrependimento sincero e pela ternura de Jesus. E nós, de que lado estamos? Olhemos ao nosso redor: nossas atitudes são de igual ou de descriminação e condenação?

Pe. Raimundo Neto
Pároco

Mensagem

...Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.

Este é o primeiro e grande mandamento.

E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo...

Eventos